Suzano investe em programa de educação socioambiental

Publicação
A Suzano Papel e Celulose promove, a partir deste mês, o Meu Ambiente, projeto de educação socioambiental realizado pelo Instituto Ecofuturo, com apoio da Escola Ambiental, da Secretaria de Educação de Mogi das Cruzes, junto às escolas da rede pública de ensino da cidade. A iniciativa tem como objetivo promover o uso do ambiente natural como espaço educador e sensibilizar educadores para que desenvolvam trabalhos que estimulem uma maior conexão dos estudantes com a natureza. 

A primeira fase do programa, um encontro com educadores no Parque das Neblinas, aconteceu na última semana e reuniu 14 profissionais. Na ocasião, foram realizadas rodas de discussão, troca de conhecimento e reflexões sobre a importância do contato com a natureza e as oportunidades para o desenvolvimento de projetos multidisciplinares relacionados ao cuidado e ao maior contato com o meio ambiente. Na segunda etapa, os professores levam às salas de aula os temas debatidos no encontro e propõem atividades para seus alunos, que depois participam de uma vivência na reserva ambiental. 

Em 2017, 400 estudantes de escolas públicas do entorno do Parque devem participar do Meu Ambiente. Adriana Salvio, professora da rede municipal de ensino de Mogi das Cruzes, presente no encontro, acredita que a iniciativa deve ser expandida. “Falar de Natureza é falar de essência. Esse programa precisa ser ampliado para que outros educadores e outras crianças possam ser envolvidas", afirma. 

Uma das principais contribuições do encontro com educadores é o compartilhamento de experiências e debates sobre a importância da aproximação com a natureza, conta Michele Martins, responsável pelo programa Meu Ambiente. Ela afirma que, por meio da iniciativa, é possível criar contextos de aprendizagem que envolvem os elementos da natureza como tema transversal e interdisciplinar no ambiente escolar. “Cada ciclo do projeto nos traz novos conhecimentos, que são repassados aos participantes. Quanto mais intensificamos e promovemos essas relações entre nós e o ambiente, mais desenvolvida será a consciência sobre as nossas responsabilidades e o cuidado que devemos ter com todas as vidas. Nossa meta é que, ao levar esta proposta para os professores, eles se tornem agentes transformadores e também contribuam com a formação de cidadãos mais conscientes”, acrescenta. 

De acordo com Angélica Lucas Bezerra, coordenadora da Escola Ambiental, da Secretaria de Educação de Mogi das Cruzes, o programa vem proporcionando aos professores práticas inovadoras e integradas, assegurando condições para que formulem e executem seus projetos ambientais, visando preconizar a aproximação do homem à natureza, o resgate de valores e o respeito à toda forma de vida. “A equipe do Instituto Ecofuturo e a sistematização do programa possibilitam aos professores e alunos, por meio das vivências monitoradas, analisar e refletir sobre os principais aspectos da Mata Atlântica, sua biodiversidade e importância. É uma experiência valiosa que fortalece, integra, socializa e transforma todos que fazem parte do programa”, afirma.

Realizado anualmente desde 2010, o Meu Ambiente já envolveu mais de 110 educadores e 4.000 alunos de 36 escolas de Mogi das Cruzes. 

Fonte: Suzano

 

Esta publicação fala sobre
Para procurar por publicações similares, clique
nos temas acima ou nos textos listados ao lado.
Você também pode realizar uma pesquisa
no campo superior desta página.
Você pode ainda publicar seu comentário logo abaixo, assim como mandar sua sugestão por e-mail.


Participe, deixe abaixo os seus comentários.

Ajax Indicator
Ajax Indicator

Institucional

Conheça aqui a rede de comunicação da Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel.

Contato

A ABTCP espera sua mensagem, seja para anunciar, enviar sugestões ou tirar dúvidas sobre nossas publicações.

Nosso Papel | ABTCP | Todos os direitos reservados 2009